segunda-feira, 12 de junho de 2017

SEU PET ESTÁ FICANDO IDOSO. E AGORA?


É necessário que o proprietário fique sempre atento a qualquer
alteração no comportamento e no estado de saúde do cão 






Cães também envelhecem e passar a enfrentar problemas de saúde típicos da idade. A médica veterinária Gisele Vieira Sechi, do Hospital Veterinário Intensiva (HVI), de Curitiba, explica que as raças e os portes dos cães são fatores que determinam quando um cachorro pode ser considerado idoso. “Um animal de pequeno tende a apresentar tempo de vida mais prolongado e, por isso, é considerado idoso mais tardiamente quando comparado a um cão de grande ou médio porte”, esclarece. Ela lembra que  animais que sejam submetidos a check-up periodicamente, que apresentem cuidados e alimentação adequadas têm condições de viver mais.

Um pet idoso está predisposto a diversas doenças, acentua a médica. Por isso, é necessário que o proprietário fique sempre atento a qualquer alteração no comportamento e no estado de saúde. Entre as principais doenças que afetam o animal idoso estão as articulares, cardiovasculares, neoplásicas, renais e endócrinas. Gisele explica que os donos devem tomar algumas medidas para amenizar as dificuldades que o pet passará a apresentar por causa da idade.


“É necessário que seja submetido a avaliações rotineiras para determinar se não está apresentando sintomas compatíveis com essas doenças”, coloca a veterinária. A avaliação preventiva, muitas vezes baseadas em exames, possibilita o tratamento precoce e melhoria na qualidade de vida, acrescenta. Também é de fundamental importância que o pet idoso receba rações adequadas para a sua faixa etária, com suplementações específicas que amenizam algumas enfermidades.

Segundo a médica, o cão irá apresentar mudanças de comportamento quando começar a envelhecer. Ela cita que pode aumentar as suas horas de sono, não realizar as atividades que normalmente efetuava com tanta intensidade e pode ainda apresentar desconfortos relacionados a problemas articulares e ósseos, fazendo com que permaneça mais tempo em repouso. O exercício para pets idosos deve ser feito de maneira cautelosa, ensina Gisele. “Podem ser realizadas caminhadas leves e até mesmos exercícios com acompanhamento de um veterinário fisioterapeuta, que poderá auxiliar na recomendação e execução de exercícios mais apropriados”, recomenda.

Gisele coloca que o HVI conta com profissionais extremamente capacitados para atender pets idosos. “Cada animal irá necessitar de um cuidado específico e o hospital possui em seu corpo clínico diversos especialistas que aplicarão um tratamento direcionado e eficaz, proporcionando melhor qualidade de vida  para o animal”, acentua.

​Hospital Veterinário Intensiva
Rua Júlia Wanderley, 657 - Mercês - Curitiba - PR
Contato: (41) 3082-9803

Por Ana Maria Ferrarini - anamariaferrarini@gmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário