quinta-feira, 4 de outubro de 2018

04 DE OUTUBRO, DIA DOS ANIMAIS

É Fato! Pets contribuem com todas as fases de vida dos 
seres humanos
Em 4 de outubro, Dia dos Animais, os benefícios à saúde, aspectos sociais e emocionais da interação com eles merecem ser celebrados 
Foto: Internet
Não é preciso ter um animal de estimação em casa para conhecer os benefícios que eles trazem para a vida dos seres humanos. O amor puro e incondicional dos pets é inexplicável e esse sentimento de afeto mútuo não deixa dúvidas do bem que a presença de um cão ou gato pode gerar para seus tutores.

No mês em que o Dia dos Animais (04/10) é celebrado, o Centro de Nutrição e Bem-estar Animal WALTHAM™, da Mars Petcare, referência em pesquisas sobre a interação homem-animal, destaca como os pets contribuem de forma positiva durante toda a vida do homem, desde o desenvolvimento infantil até um envelhecimento saudável.

Infância
Crescer com um animal de estimação pode trazer benefícios sociais, emocionais e educacionais às crianças e adolescentes. Meninos e meninas que convivem com pets tendem a ter autoestima mais elevada, se sentem menos sozinhos e têm mais habilidades sociais.

Alguns estudos têm revelado que aqueles que crescem com pets costumam demonstrar mais empatia com os colegas e estão mais envolvidos em atividades como esportes, brincadeiras, dentre outras. Na escola, as pesquisas sugerem que os animais podem ajudar as crianças a aprender, mantendo-os interessados e motivados a terem bons comportamentos.
Ter um pet na família também traz benefícios para a saúde como redução do risco de alergias associadas a asma, além de auxiliar crianças que sofrem de transtorno de déficit de atenção. Para crianças com autismo, foi relatado que intervenções assistidas por animais facilitaram melhorias em áreas críticas, como funcionamento social, foco e atenção, comportamentos psicossociais, além de reduzir comportamentos estereotipados.

Foto: Internet

Adultos
Em geral, tutores de animais tendem a visitar médicos com menos frequência e consumir menos remédios. Vários estudos sugerem que o passeio com o cão é uma ótima maneira de se exercitar e pode ajudar, por exemplo, a reduzir as taxas de obesidade, pressão sanguínea, risco de doenças cardíacas e colesterol elevado, além de prolongar o tempo de sobrevivência após um ataque cardíaco.

Ter um pet reduz os níveis de estresse e, para aqueles que perderam um cônjuge, uma forte ligação com os animais está associada a níveis reduzidos de depressão.  Além disso, tutores de pets são mais propensos a desenvolver uma relação de amizade e confiança, fortalecendo assim a tese que ser tutor de um animal de estimação é um fator valioso e positivo na vida da comunidade e da vizinhança.

O vínculo humano-animal pode ajudar também na área profissional. A presença dos animais de estimação nos escritórios torna o ambiente mais colaborativo, com menos stress e ansiedade, ajudando as pessoas a se manterem mais felizes e saudáveis.
Idosos
Quando ficamos mais velhos, o impacto de um animal de estimação pode ser ainda mais poderoso. Os pets, especialmente os cachorros, oferecem oportunidades e motivação para idosos como a prática regular de atividade física. Exercícios regulares não só ajudam a manter e melhorar o funcionamento físico, mas também reduzem as chances de doenças ligadas ao sedentarismo (como, por exemplo, doença coronária, diabetes tipo 2 e certos tipos de câncer). Por isso mesmo, idosos com cães fazem mais amizades e ficam menos doentes.
Outros estudos demonstraram que os tutores têm respostas fisiológicas mais saudáveis ao estresse, incluindo a melhora cardíaca, melhor pressão arterial e a recuperação mais rápida de irritações leves.
Para mais informações sobre a Mars, acesse www.mars.com/brazil/pt
Por Tatiana Katibian - In Press


Nenhum comentário:

Postar um comentário