segunda-feira, 13 de julho de 2015

DOENÇAS OCULARES

Cerca de 10% dos animais de estimação têm doenças oculares
Vida urbana facilita o surgimento de problemas, explica especialista que estará no Medvep, maior encontro de Medicina Veterinária do país

As doenças oftalmológicas, comuns nos seres humanos, também acometem os animais de estimação. De acordo com Felipe Wouk, pós-doutor em Oftalmologia veterinária, hoje, cerca de 10% dos animais de estimação são vítimas de problemas oculares. “As doenças oculares acabaram aumentando com o hábito de banhar os animais quase semanalmente, o que facilita agressões, contaminações e traumas nos olhos por xampu, água e calor do secador, por exemplo”, explica o médico veterinário e presidente do Congresso Medvep de Especialidades Veterinárias - maior encontro de Medicina Veterinária do país, que acontecerá entre os dias 22 a 25 de julho, no Expotrade Convention Center, em Pinhais, na Grande Curitiba.
Ulcerações corneanas, disfunções da lágrima (olho seco), glaucoma e doenças de retina são as mais comuns nos animais de estimação. As raças mais predispostas são as chamadas braquicefálicas, com focinho curto, pois, geralmente, possuem os olhos mais proeminentes, como o pug, shitzu e pequinês. “Mas, outras raças também são propensas, como o cocker, o shar-pei e poodle. entre os gatos, o persa”, conta o Felipe Wouk.
Publicidade

Congresso Nacional de Educação Canina 2.0

Entre as doenças que mais causam a perda de visão nos bichos, está a catarata. “A catarata é umas das principais doenças causadoras de cegueira nos animais, sendo que afeta muito mais os cães do que os gatos. Pacientes jovens, entre 2 a 8 anos de idade, são os que mais sofrem desta enfermidade”, revela. As principais causas são a hereditariedade, inflamações intraoculares causadas por doenças como diabetes e glaucoma.
Assim como nos humanos, a única forma de tratamento para a catarata animal é a cirurgia. “A técnica chamada de facoemulsificação é a mesma utilizada nos seres humanos. Após a retirada da catarata, a lente natural é substituída por uma artificial de acrílico que é feita especialmente para animais. O procedimento existe para os animais há mais de 15 anos, com  resultados de sucesso em mais de 95% dos casos”, conta Felipe Wouk.
Oftalmologia veterinária no Congresso Medvep
Em constante ascensão, essa área terá uma grade de palestras especiais no evento e serão discutidos os assuntos de maior relevância hoje, como farmacologia ocular, oftalmologia felina, métodos de reconstrução de córnea, entre outros. Um dos palestrantes será o professor Alain Regnier, da Escola Nacional de Veterinária de Toulouse-França. “Ele é chefe do serviço de oftalmologia dessa instituição, uma das mais importantes da Europa na formação de oftalmologistas veterinários por intermédio de um curso regular de especialização”, salienta Felipe Wouk.
Outras áreas da veterinária também terão programação de palestras durante o Congresso, como Homeopatia, Acupuntura, Cardiologia, Fisioterapia, Alergologia, Oncologia, Dermatologia e Nutrição, entre outras. As apresentações têm o objetivo de reciclar o conhecimento dos profissionais e discutir novidades ou temas ainda polêmicos nas áreas de Oftalmologia,.
Ainda fazem parte da programação do evento o IX Cobov – Congresso Brasileiro de Odontologia Veterinária, o I Convel – Congresso Internacional de Medicina Veterinária Legal e o Simpósio Internacional de Ortopedia. Mais informações e inscrições pelo site www.medvep2015.com.br


SERVIÇO: O Congresso Medvep de Especialidades Veterinárias ocorre de 22 a 25 de julho, no Expotrade Convention Center, em Pinhas – Região Metropolitana de Curitiba. 
Mais informações e inscrições pelo site www.medvep2015.com.br 
Telefones (41) 3039-1100 e (41) 3039-2867 ou pelos e-mails medvep@medvep.com.brcontato@medvep.com.br e dalmar@medvep.com.br


 Expressa Comunicação
(41) 3029-4031 | 3233-4032 | 3029-0638| 9914-3095

Nenhum comentário:

Postar um comentário