domingo, 8 de outubro de 2017

PASSEANDO COM OS CACHORROS


Aproveitando o Dia Mundial dos Animais, que tal relembrar algumas regrinhas básicas para passear com os cachorros?
Para segurança e saúde de humanos e animais algumas regras precisam ser seguidas em locais públicos
No dia 04 de Outubro é comemorado o Dia Mundial dos Animais, e, quem tem animal de estimação em casa com certeza sempre está à procura do que é melhor para ele, não é mesmo? Seja em alimentação, saúde, estética e claro amor e cuidados. E se tem uma coisa que nossos amigos de 4 patas amam é passear, por isso, separamos algumas dicas essenciais para que a diversão seja saudável e segura para todos.
 Primeiro é importante levar algumas coisinhas para sair com os cachorros, guia para a coleira, petiscos, água e lixinho para recolher as fezes são essenciais e não podem faltar no checklist do passeio.
 Segunda a veterinária Aline Spina, do Hospital Veterinário Cão Bernardo, é importante também ficar de olho no que o animal ingere no passeio e respeitar os limites para não forçar atividades físicas se o cachorro demonstrar cansaço e sempre ficar atento à temperatura do chão para não queimar as patinhas.
 Além disso, é preciso tomar algumas medidas com relação a sáude e prevenção de doenças.    “Com relação a saúde é extremamente importante que o animal esteja com a vacinação atualizada, a realização de vermifugação periodicamente e também efetuar proteção contra pulgas e carrapatos, que são mais propícios nessa época do ano, explica,  Dra. Aline.   
 Vale ressaltar que em alguns Estados é obrigatório por lei o uso de focinheira em determinadas raças como Pitbull, Mastin Napolitano, Rottweiller, American Stafforshire Terrier, entre outras.
 Passear é muito bom para os cachorros, não apenas para fazer as necessidades físicas, mas para exercitar e também socializar fora dos limites da casa. Portanto, se você ainda não criou esse hábito com o seu animal, que tal começar em um dia especial como o de hoje?
 Para mais informações sobre o Hospital Veterinário Cão Bernardo acesse: www.caobernardo.com.br
Por Emília Rebelo - AMBCom 

sexta-feira, 6 de outubro de 2017

EXPOSIÇÕES CANINAS


As exposições caninas como qualquer amostra competitiva, além da premiação que porventura venha a ganhar um cão, sobre tudo, servem para avaliar a qualidade dos cães comparativamente ao de seus concorrentes, tanto criadores como expositores.

O julgamento do árbitro é subjetivo e portanto sujeito a seu critério pessoal. Você deve participar de exposições, como criador conhecendo pelo menos o padrão da raça que cria. É nas pistas que poderá sentir o que tem produzido.

A você cabe julgar seus próprios cães de fora da pista, para isto deverá se desprender da "cegueira de canil" muito contagiosa, e que não lhe permite ver, a não ser seu exemplar exposto. Nas exposições poderá corrigir alguns defeitos que outros cães não tenham.
Saberá quem padreou o cão melhor que o seu, por que esta fêmea tem dado melhores filhotes que outra, enfim, as exposições para o criador é a base do seu trabalho exposto com cães de outros criadores, e poder dessa forma situar como está a sua criação comparativamente com os concorrentes.

O árbitro somente aponta os cães ganhadores, para o seu critério você faz muito mais, avaliará seus exemplares e continuará com seu plano de criar, se forem melhores que os outros, ou fará alterações que acredite melhorará sua criação. As exposições não deve ser uma guerra, e sim uma reunião de criadores e expositores, onde em cada raça teremos adeptos, companheiros, criadores e trocaremos
informações.

Nunca poderemos esquecer que a criação de cães puros com pedigree se faz com intuito de um melhoramento genético e para o engrandecimento de uma raça. Aprender a explorar uma exposição é o mais importante que um criador tem pela frente para o melhoramento genético. 

No próximo dia 08/10 acontecerá o "II FEST DOG SHOW 2017" no Forrock com três exposições, sendo uma Internacional julgada pelo árbitro da Costa Rica Sr. Luis Roberto S. Brenes e duas Panamericana pelos árbitros Maria Del Carmen Romero do Uruguai e José Arnaldo de Medeiros Neto do Brasil. O Festival é uma realização do Kennel Clube da Paraíba que tem como presidente a Sra. Vilênia Toscano Cunha.

quarta-feira, 27 de setembro de 2017

COMO ESCOLHER O PET PERFEITO PARA SEU ESTILO DE VIDA


Infelizmente não podemos escolher qualquer pet para conviver com a gente, pois se a nossa rotina for muito incompatível com as características da raça, podemos acabar prejudicando até mesmo a saúde do animalzinho. Se um cãozinho não é a melhor opção para seu estilo de vida e você, mesmo assim, escolhe tê-lo, pode ser que futuramente acabe tendo que doá-lo para alguém com condições melhores para cuidar dele.

Mas, calma, com certeza existe um cachorrinho perfeito para você, e nós vamos ajudá-lo a encontrar esse companheiro ideal. Para saber qual te chama mais a atenção, pode ser interessante visitar algum petshop ou feiras de adoção, por exemplo.

Assim como com os humanos, a escolha por um animalzinho de estimação não deve se basear apenas em beleza. Você deve sentir que realmente quer tê-lo junto de você, que existe uma ligação especial.

Critérios para escolher a melhor raça

Como dissemos anteriormente, você pode escolher o pet que desejar, mas essas dicas ajudarão a escolher o cãozinho ideal para você e para o seu estilo de vida:

     1.  Para quem mora em apartamento

Para começar a escolher o cachorrinho ideal, responda a essa pergunta: você mora em apartamento ou casa? Bem, se sua resposta é apartamento, então, prefira raças menores, pois cães de grande porte precisam de bastante espaço para se movimentar e exercitar.
Caso você realmente queria um cãozinho grande, será necessário levá-lo para passear constantemente. Contudo, a melhor opção para você, em caso de morar em um local pequeno, são cãezinhos menores já que não precisam de um espaço grande para poder brincar e se movimentar à vontade.  Algumas raças perfeitas para tutores que moram em apartamento: Poodle, Yorkshire, Pug, Lhasa apso, Maltês, Shih Tzu, Buldogue.
Porém, se você mora em uma casa, pode ter um cão maior, se preferir. Mas morar em uma casa não só interfere na hora de escolher o tamanho do cãozinho, há pets que precisam se exercitar mais que outros, mesmos sendo cães de porte pequeno ou médio, por exemplo, cães das raças Beagle, Bull Terrier e Corgis.

Outro fator que deve ser levado em consideração, é se há crianças na família, em caso afirmativo, é recomendada a escolha de raças que se dão melhores com os pequenos, por exemplo: Golden Retriever, Labrador Retriever, Bulldog Inglês e Corgis.

     2.  Para quem tem pouco tempo disponível

Muitas pessoas não têm o tempo que gostariam para dedicar aos seus bichinhos, por isso, se você é uma dessas pessoas com a rotina muito agitada, dê preferência às raças que são mais independentes e não precisam de tanta atenção. Geralmente, esses cães gostam de dormir bastante e se distraem com seus brinquedos, podendo passar a maior parte do tempo sozinhos. Mas, não esqueça que mesmo sendo independentes, esses pets precisam de atenção e carinho.

Pequeno porte: Pug, Shih Tzu, Lhasa Apso, Buldogue.

Médio porte: Shiba Inu, Basset Hound, Basset Hound.

Grande porte: Akita, Chow-Chow, Husky Siberiano, Samoieda.

     3.  Para quem gosta de tranquilidade

Para você que ama o silêncio, ou que costuma chegar em casa muito estressado em casa e, por isso, coloca o sossego em primeiro lugar, esses cachorrinhos são perfeitos, pois não latem muito, são quietinhos e educados, além disso, ajudam a alegrar um dia que foi cheio e pesado. Esses pets também são perfeitos para moradores de apartamentos que se preocupam em não incomodar os vizinhos.

Buldogue frances e ingles
Whippet
Dogue Alemão
São Bernardo
Golden Retriever
Maltês
Shar Pei

     4.  Xô, alergia!

Se você sofre porque ama pets, mas tem alergia aos pelos, saiba que seus problemas acabaram, pelo menos com cãezinhos. Os cães abaixo não provocam alergia e soltam menos pelos do que outros.

Cão d'água chines
Maltês
Poodle
Schnauzer
Yorkshire terrier
Bichon frise
cristado chines

      5.  Para tutores idosos

Muitos idosos moram sozinhos, e a companhia de um cãozinho pode ajudar muito a motivar e alegrar a rotina deles. O indicado para convivência com idosos, são cães de porte pequeno, pois não exigem muito esforço. Cães mais velhos também são mais indicados do que os filhotes, já que os bebês são mais elétricos e precisam de muita atenção.

Ter um cachorrinho ainda pode estimular os idosos a se exercitarem mais, evitando que fiquem muito reclusos em casa, colaborando para a qualidade de vida. Algumas das opções das melhores raças para idosos são:

Chihuahua
Pug
Shih Tzu
Maltês
Pequinês
Schnauzer
Poodle Toy
Yorkshire Terrier

Escolha seu cãozinho por amor, por favor!

Antes de ter um cãozinho procure saber de sua origem e quais são as condições do local em que foi criado, pois muitos locais voltados para a reprodução de cães oferecem condições precárias para os bichinhos.

Outro fator importante para se ter um cãozinho é o amor que o tutor irá oferecer, independentemente da raça. Se você puder adotar ou resgatar um pet da rua, ele irá te agradecer com todo o amor do mundo. Lembre-se que muitos cães são rejeitados, simplesmente por não terem uma raça definida, e como já dissemos, não podemos escolher um animalzinho simplesmente pela sua aparência.

Por Gear SEO

domingo, 24 de setembro de 2017

DICAS PARA EVITAR A HIPERTERMIA

Para os cães, "morrer de calor" não é uma força de expressão, mas algo que realmente pode acontecer. A síndrome da exaustão ocorre quando um animal é submetido a situações além de sua capacidade física, aliado a um aumento da temperatura do corpo(Hipertermia), o que ocasiona uma disfunção cardiorrespiratória ou desidratação, que pode matá-lo!



Buldogues tem maior dificuldade de perderem calor por meio da ofegação o que contribui para o rápido superaquecimento do corpo.
A cada ano a temperatura está aumentando e com isto muitos buldogues franceses( ingleses e demais cães de focinhos curtos) estão morrendo pala falta de informação de seus proprietários. É mais do que urgente atentar para os cuidados de prevenção ou estaremos condenando a raça a um cruel sofrimento!





DICAS PARA EVITAR

Abrigue-o sempre dentro de casa e com acesso a piso frio.
- Deixe sempre muita água limpa e gelada a disposição.
-Se possível, ligue o ar condicionado ou ventilador nos ambientes muito quentes
- E se necessário coloque uma toalha umedecida com água gelada sobre o cão.

Fonte: facebook.com/VigilantesDoBulldogFrances

quinta-feira, 31 de agosto de 2017

5 dicas para escolher a caminha para cachorro ideal


Ter um cachorro em casa exige diversos cuidados, entre eles, está também o seu descanso. O pet precisa de um espaço que proporcione o devido repouso para que ele possa se desenvolver de forma saudável e tranquila. Falando nisso, você sabe escolher o melhor tipo de caminha para cachorro?
Seja na chegada ou conforme o pet for crescendo, pelo menos 2 vezes na vida você irá precisar trocar a caminha do seu cachorro. Pode até parecer uma tarefa simples, porém, a caminha errada pode prejudicar o bem-estar do animalzinho, levando a outros tipos de complicações. Mas fique tranquilo, pois separamos 5 dicas para você não errar na escolha. Confira!

A importância da caminha para cachorro

Assim como os humanos, os cachorros também precisam de um lugar para chamar de seu. A cama é o espaço que eles associam com segurança e descanso. Por isso, ela deve ser colocada em um lugar calmo e sem muita circulação.
Além disso, a caminha para cachorro mantém seu pet longe dos móveis, como sofá, cama e poltrona. Tendo um lugar só dele fica mais fácil educá-lo para não subir no mobiliário.

5 dicas para escolher a caminha de cachorro perfeita

Se você está na dúvida sobre como escolher a melhor caminha para cachorro, separamos 5 dicas para você não errar na decisão. Confira!

1. Considere tamanho e idade

As necessidades de um filhote são diferentes das necessidades de um cão adulto ou idoso. Enquanto os pequenos precisam de uma cama mais quentinha os velhinhos, muitas vezes, necessitam de uma cama ortopédica para maior conforto. Leve em consideração a idade do seu cachorro na hora de optar por uma caminha.
Outro ponto é o tamanho do pet. A cama de cachorro deve comportá-lo de forma confortável. Não tem problema se no início ela for um pouco maior que o filhote, por exemplo, desde que ela comporte bem o tamanho dele no futuro.

2. Não se esqueça da raça

Algumas raças sentem mais frio que as outras, assim como existem raças que possuem mais pelo e são mais resistentes ao frio. Ao escolher a caminha para cachorro pense na raça do seu pet.
O clima decorrente de onde você mora também deve ser levado em consideração na escolha da casinha para cachorro.

3. Observe a forma como seu cachorro dorme

O formato da cama precisa seguir uma regrinha simples: a forma como o seu cachorro dorme. Alguns cachorros dormem encolhidos em volta de si mesmos, para esses o melhor formato são as caminhas redondas. Já aqueles que dormem esticados, ficam melhores acomodados em caminhas retangulares.
Observe a forma que seu cachorro dorme e descansa antes de escolher uma caminha para ele.

4. Priorize segurança

Antes de optar por uma determinada caminha para cachorro confira se não há peças ou detalhes que possam ser ingeridos ou machucar seu pet. Mesmo que o modelo te agrade, lembre-se que a prioridade é a segurança do seu animalzinho.

5. Alie beleza e conforto

É claro que queremos a cama mais bonita para o nosso melhor amigo, porém, ela também precisa ser confortável. Confira se a caminha é suficientemente acolchoada e possui um tecido que promova aconchego para o descanso do pet.
Outro detalhe a se atentar é a praticidade. Dê preferência para caminhas que sejam fáceis de desmontar e lavar, assim você irá facilitar sua rotina e também a do seu cachorro.

Você pode encontrar diversos modelos e exemplos de caminha para cachorro entrando no site da Petz.

Por Gear SEO