segunda-feira, 8 de outubro de 2018

CONCURSO "Pet no Calendário"

Para celebrar o Dia do Animal, Royal Canin convida tutores a inscreverem seus pets no concurso “Pet no Calendário”
Os vencedores do concurso estamparão o calendário 2019 da marca e receberão
 seis meses de alimentação gratuita

Na semana em que é celebrado o Dia do Animal (04/10), a ROYAL CANIN®, lança o concurso “Pet do Calendário 2019”. Sucesso em anos anteriores, a ação elege seis gatos e seis cães de todo o Brasil para estamparem o calendário anual da marca.

Participar é fácil: os donos de cães e gatos de todo o país devem cadastrar até 3 (três) fotos do seu pet no site da campanha. A comissão julgadora é formada por representantes da Royal Canin do Brasil, responsável por selecionar 50 finalistas.  Já a 2ª fase será aberta a votação do público, que elegerá os 12 vencedores que farão parte do calendário 2019 da marca.

“O Pet no Calendário" é um momento muito especial para a Royal Canin, em que celebramos a conexão dos tutores e seus pets. Nesta edição, decidimos iniciar o concurso na semana do Dia do Animal como uma forma de homenagear os mais de 70 milhões de pets do Brasil, que tornam as nossas vidas muito melhores”, comenta Aline Domingues, Especialista de Marketing da Royal Canin.

Premiação     
Os 12 tutores (sendo seis de gato e seis de cão) que tiverem suas fotos selecionadas ganharão seis meses de alimentação gratuita.

Prazos da promoção:
Cadastro e envio das imagens entre os dias 01/10/2018 e 04/11/2018.
A votação dos 12 ganhadores será entre 07/11/2018 e 27/11/2018.
O vencedor será divulgado dia 29/11/2018.

Para mais informações, acesse o FacebookInstagram ou o site da campanha e consulte o regulamento completo da promoção.

Sobre a ROYAL CANIN®
A multinacional Royal Canin, uma das maiores fabricantes do mundo de alimentos de alta qualidade nutricional para gatos e cães, celebra 50 anos em 2018. Com 13 fábricas no mundo e presente em 92 países, a marca considera sempre o gato e o cão em primeiro lugar e tem sua história focada no conhecimento e respeito por estes animais.
Por Giovanna Russo - In Press


quinta-feira, 4 de outubro de 2018

04 DE OUTUBRO, DIA DOS ANIMAIS

É Fato! Pets contribuem com todas as fases de vida dos 
seres humanos
Em 4 de outubro, Dia dos Animais, os benefícios à saúde, aspectos sociais e emocionais da interação com eles merecem ser celebrados 
Foto: Internet
Não é preciso ter um animal de estimação em casa para conhecer os benefícios que eles trazem para a vida dos seres humanos. O amor puro e incondicional dos pets é inexplicável e esse sentimento de afeto mútuo não deixa dúvidas do bem que a presença de um cão ou gato pode gerar para seus tutores.

No mês em que o Dia dos Animais (04/10) é celebrado, o Centro de Nutrição e Bem-estar Animal WALTHAM™, da Mars Petcare, referência em pesquisas sobre a interação homem-animal, destaca como os pets contribuem de forma positiva durante toda a vida do homem, desde o desenvolvimento infantil até um envelhecimento saudável.

Infância
Crescer com um animal de estimação pode trazer benefícios sociais, emocionais e educacionais às crianças e adolescentes. Meninos e meninas que convivem com pets tendem a ter autoestima mais elevada, se sentem menos sozinhos e têm mais habilidades sociais.

Alguns estudos têm revelado que aqueles que crescem com pets costumam demonstrar mais empatia com os colegas e estão mais envolvidos em atividades como esportes, brincadeiras, dentre outras. Na escola, as pesquisas sugerem que os animais podem ajudar as crianças a aprender, mantendo-os interessados e motivados a terem bons comportamentos.
Ter um pet na família também traz benefícios para a saúde como redução do risco de alergias associadas a asma, além de auxiliar crianças que sofrem de transtorno de déficit de atenção. Para crianças com autismo, foi relatado que intervenções assistidas por animais facilitaram melhorias em áreas críticas, como funcionamento social, foco e atenção, comportamentos psicossociais, além de reduzir comportamentos estereotipados.

Foto: Internet

Adultos
Em geral, tutores de animais tendem a visitar médicos com menos frequência e consumir menos remédios. Vários estudos sugerem que o passeio com o cão é uma ótima maneira de se exercitar e pode ajudar, por exemplo, a reduzir as taxas de obesidade, pressão sanguínea, risco de doenças cardíacas e colesterol elevado, além de prolongar o tempo de sobrevivência após um ataque cardíaco.

Ter um pet reduz os níveis de estresse e, para aqueles que perderam um cônjuge, uma forte ligação com os animais está associada a níveis reduzidos de depressão.  Além disso, tutores de pets são mais propensos a desenvolver uma relação de amizade e confiança, fortalecendo assim a tese que ser tutor de um animal de estimação é um fator valioso e positivo na vida da comunidade e da vizinhança.

O vínculo humano-animal pode ajudar também na área profissional. A presença dos animais de estimação nos escritórios torna o ambiente mais colaborativo, com menos stress e ansiedade, ajudando as pessoas a se manterem mais felizes e saudáveis.
Idosos
Quando ficamos mais velhos, o impacto de um animal de estimação pode ser ainda mais poderoso. Os pets, especialmente os cachorros, oferecem oportunidades e motivação para idosos como a prática regular de atividade física. Exercícios regulares não só ajudam a manter e melhorar o funcionamento físico, mas também reduzem as chances de doenças ligadas ao sedentarismo (como, por exemplo, doença coronária, diabetes tipo 2 e certos tipos de câncer). Por isso mesmo, idosos com cães fazem mais amizades e ficam menos doentes.
Outros estudos demonstraram que os tutores têm respostas fisiológicas mais saudáveis ao estresse, incluindo a melhora cardíaca, melhor pressão arterial e a recuperação mais rápida de irritações leves.
Para mais informações sobre a Mars, acesse www.mars.com/brazil/pt
Por Tatiana Katibian - In Press


terça-feira, 4 de setembro de 2018

10 COISAS QUE VOCÊ FAZ E SEU CÃO ODEIA


Com a convivência diária e a proximidade cada vez maior entre cães e donos, é comum que ocorram alguns desentendimentos. Da mesma forma como acontece entre os humanos, com os cães a má interpretação de sinais e gestos ou situações desagradáveis podem fazer com que o vínculo de amizade e respeito seja quebrado, ou que situações ruins possam criar traumas psicológicos no animal.

Para evitar que você faça o que não deve com o seu cão, contamos com as dicas de Ricardo Tamborini, que é adestrador e especialista em comportamento canino.

1º Encarar o cão
Olhar nos olhos é um sinal de desafio no mundo animal. É através do olhar que os cães demonstram medo ou ameaça e, ao ficar por algum tempo encarando um cão sensível, você faz com que ele se sinta ameaçado, e situações repetitivas como essa farão com que ele que se torne cada vez mais medroso. O contrário acontece com cães mais firmes e dominantes, que, ao serem encarados, podem revidar, atacando e mordendo.


2º Abraçar o cão em excesso

Nem todos os cães gostam de ser beijados e abraçados.  Os cães montam uns nos outros no intuito de subjugar aquele que está por baixo. Por isso, ao abraçar o cão, ele pode entender que está sendo testado e subjugado.


3º Beijar e falar

Os cães lambem uns aos outros como forma de demonstrar submissão, e parte da comunicação deles é feita através da vocalização: latindo, rosnando ou chorando. Ao ficar de rostinho colado, falando e beijando o cão, ele pode interpretar esses sinais como excesso de submissão. Alguns irão tentar sair do colo a fim de evitar essa situação, mas em outros casos acabam mordendo seus donos, pois ficaram muito incomodados.



4º Passear da forma errada


Os passeios servem para mostrar ao cão o que existe da porta de casa para fora. Durante os passeios, ele recebe diversos estímulos como sons, cheiros dos mais diversos tipos, e encontram pessoas e outros cães. Fazer o passeio com pressa faz com que ele não tenha tempo para se acostumar a esses estímulos e, sendo assim, poderá nunca se acostumar com a presença de cães e pessoas desconhecidas.

5º Usar guias e coleiras erradas nos passeios

Encontramos facilmente uma vasta linha de materiais de passeio, como coleiras de pescoço, peitoral e guias dos mais diversos tipos. Mas cada material tem uma finalidade, assim como cada cão necessita do material de passeio adequado ao tamanho e peso dele. Ao escolher o material inadequado ou não recomendado para o seu cão, ele pode puxar demais durante os passeios, pode ficar incomodado pelo desconforto casofique muito apertado e também pode escapar, caso o material fique com folga no corpinho do seu cão. 


6º Deixar o cão de castigo

Colocar o cão de castigo, como se fosse uma criança, de nada adianta. Eles não compreendem o mundo da mesma forma que os nossos filhos. O castigo só faz com que o cão acumule mais energia e fique ainda mais ansioso. Não é de se estranhar que os donos coloquem o cão de castigo e quando voltam para retirá-lo notam que ele destruiu muitas coisas onde estava.


7º Dar broncas na hora errada

Cães são imediatistas e a memória deles funciona como flash de uma máquina fotográfica. Eles fotogravam o momento e através das repetições e também de experiências boas e ruins aprendem o que é certo e errado. Dar broncas minutos ou horas depois do cão ter errado ou aprontando é completamente errado. Eles só compreendem as broncas quando são dadas no momento em que estão fazendo algo errado. Ficar brigando com o cão a todo momento e, principalmente, tempos depois que ele errou, só fará com que tenha medo de você.


8º Cheiros muito fortes

O olfato dos cães é muito mais apurado quando comparado ao dos humanos, e alguns são capazes de identificar uma gota de sangue em uma piscina olímpica, por exemplo. É comum cães com o olfato mais aguçado se sentirem incomodados quando usamos perfumes muito fortes ou quando passamos perfume em todo o corpinho deles após darmos banho.


9º Sons muito altos

Assim como o olfato, a audição dos cães é um sentido extremamente desenvolvido. Alguns cães são acometidos por má formação no labirinto do ouvido e, com isso, sofrem de hipersensibilidade auditiva. Por isso, padecem ao ouvir sons como fogos de artifício, trovão e barulhos muito altos.


10º Falta de atividades

Todos os cães, independentemente da idade, tamanho e raça, precisam ter atividades constantemente. Passeios diários, brinquedos atrativos e, principalmente, a interação com os donos fazem com que o cão fique física e mentalmente saudável. A falta de atividades faz com que ele fique muito entediado, o que pode causar diversos problemas comportamentais.


Por Ricardo Tamborini é adestrador e especialista em comportamento canino
www.ricardotamborini.com.br

sábado, 28 de julho de 2018

DESFILE DE CÃES 2018 NA FEIRA BMB



O objetivo do Desfile de Cães BMB 2018 é apresentar a relação de amizade, respeito e carinho entre o tutor e o seu cão. A apresentação,o carisma e o traje criativo serão os requisitos para vencer o Desfile. Uma comissão avaliará os critérios de Apresentação (Durante o desfile), o Carisma (Entre tutor e cão) e o Traje (Roupas e acessórios). No ato da inscrição receba a ficha com as instruções e termos.
O evento acontece neste sábado, 28 de julho de 2018 às 17 horas no Centro de Convenções de João Pessoa(PB) - Na Área Pet da Brasil Mostra Brasil.


* O acesso ao local do desfile é pela bilheteria do evento no valor promocional de R$ 8,00.
HAVERÁ PREMIAÇÃO DO 1º AO 5º QUINTO LUGAR.
AS INSCRIÇÕES: Poderão serem feitas fornecendo os dados do cão e de seu proprietário: Nome do cão; Sexo; Idade; Tamanho; Raça; Nome do proprietário; Endereço; Telefone; E-mail.

Caso não consiga fazer a inscrição clique aqui
         
O Desfile conta com o apoio da feira BRASIL MOSTRA BRASIL e das Rações FINOTRATO

terça-feira, 26 de junho de 2018

DIFERENÇAS E SEMELHANÇAS ENTRE TUTORES DE CÃES E GATOS

Pesquisa mostra diferenças e semelhanças entre tutores de cães e gatos

 Entrevistados foram questionados sobre diferentes aspectos e particulares, com o objetivo de encontrar tendências entre os tutores de cães e os de gatos e entender como seus animais influenciam suas vidas De dietas a preferência de exercícios físicos até escolhas de relacionamento e carreira, a pesquisa mostra que os cães geralmente têm uma influência maior nas decisões de seus tutores do que os gatos

In Press Porter Novelli
A Mars Petcare, maior empresa de alimentos para pets do mundo e líder global no segmento, tem como propósito fazer do mundo um lugar melhor para os pets e realizou uma pesquisa com mil tutores de cães e mil tutores de gatos para observar as diferenças e semelhanças entre eles.

Os resultados mostraram que as pessoas que gostam de gatos têm mais propensão a serem criativas - têm quase quatro vezes mais chances de trabalhar com áreas que envolvem inovação e criação. Os amantes de cães tendem a ganhar mais dinheiro em média, o que pode estar ligado ao fato de serem mais propensos a trabalhar na área financeira. A renda extra pode ajudar os tutores de cães, já que eles tendem a gastar 33% a mais em roupas e acessórios e 26% a mais em entretenimento do que os tutores de gatos

Falando sobre entretenimento, os chamados ‘gateiros’ são mais propensos a assistirem documentários, musicais e filmes indie. Os amantes de cães são grandes fãs de terror e ação, mas também gostam de histórias românticas.

Os tutores de gatos são mais propensos a desfrutar de hobbies mais leves, gostam de ler, escrever e realizar trabalhos manuais como, por exemplo, jardinagem. Já os de cães, por outro lado, gostam de atividades mais agitadas, como esportes, ioga, dança e viagens - demonstrando a necessidade de gastar energia em um nível semelhante ao de seus próprios amigos peludos.

Dia difícil? Terapia com animais realmente funciona

Seja por meio de exercícios, abraços ou um ‘ouvido amigo’, o impacto positivo que recebemos de nossos pets é nítido. A pesquisa descobriu que os cães são muito mais propensos a melhorar a vida de seus tutores por meio de atividades físicas do que os gatos (45% contra 8%). Os tutores de cães também são mais propensos a serem corredores, com um quarto (25%) dizendo que correm regularmente, contra apenas 16% dos tutores de felinos.

Embora os gatos possam não ser os melhores amigos de treino, seus tutores são mais propensos a dividir os pensamentos e segredos mais íntimos com seu pet (23% contra 19% para tutores de cães). E ter aquele pequeno “ombro” para chorar realmente parece ajudar, já que os tutores de gatos são mais propensos a dar crédito ao seu animal de estimação pela a redução do estresse (70% contra 66%) e também pelo conforto em momentos de tristeza, como a perda de um ente querido ou após uma ruptura de relacionamento.

“Os benefícios dos animais de estimação para a saúde e o bem-estar dos seres humanos é um assunto amplamente estudado por nós. Os pets representam uma parte essencial da sociedade e fornecem um apoio valioso em facilitar a interação humana e os contatos sociais, além de proporcionar companhia. As evidências científicas têm demonstrado os inúmeros benefícios advindos dos pets, não só para os seus tutores, mas também para a sociedade como um todo”, afirma Jam Stewart, Vice-Presidente de Assuntos Corporativos da Mars Pet Nutrition.

Pets nos fazem felizes de muitas maneiras

Apesar dessas diferenças, os tutores de gatos e cães têm algumas coisas em comum - especialmente quando se trata de viagens e planejamento de vida. Mais de um quinto deles leva seu animal de estimação junto nas férias, um quarto faz as refeições diárias acompanhados de seus pets e mais de um terço compra presentes em aniversários e datas comemorativas - embora os tutores de cães tenham duas vezes mais chances (19% x 9%) de celebrar o aniversário de seus melhores amigos com uma festa completa.

Com laços tão fortes, não é surpresa que os pets influenciem fortemente o planejamento de vida semanal de seus tutores. Os cães têm um pouco mais de influência sobre como seus tutores tomam decisões, com mais de dois terços confirmando que o pet influencia diretamente seu planejamento (67% x 58%).

É interessante pensar nas formas como os nossos animais de estimação moldam as nossas personalidades - mas, no final, parece que os tutores de cães e gatos não são tão diferentes. Uma importante tendência é notar o papel significativo que os pets desempenham em suas vidas, seja influenciando decisões de viagem, ajudando com rotinas de exercícios ou apenas ouvindo atentamente, ou seja, os animais de estimação podem melhorar nossa vida de várias maneiras.

Principais tendências observadas

Tutores de Gatos
Tutores de Cães
Áreas de atuação
Saúde, Negócios, Empreendedorismo, Criação
Finanças, Educação, Direito, Governo, ONGs
Estado civil
Solteiro, comprometido, divorciado e viúvo
Namorando, noivo e casado
Seriados preferidos
Seinfeld, Breaking Bad, House, Downton Abbey
Game of Thrones, The Big Bang Theory, Grey's Anatomy, The Walking Dead, House of Cards, The Sopranos, Law and Order, Modern Family
Estilos de filmes preferidos
Suspense, animação, indie, musicais, comédia, documentário e filmes de época
Terror, ação, romance, família e drama
Música
Jazz, blues, rock e clássica
Hip hop, rap, pop e sertanejo
Traços de personalidade
Tímido, ansioso e mal-humorado
Aventureiro, confiante, otimista e animado
Quantidade de melhores amigos
5
6
Quantas vezes saem à noite por mês?
2
3
Hobbies
Ler, escrever, trabalhos manuais, assistir TV
Yoga, dançar, viajar e esportes
Sobre a pesquisa: o estudo foi realizado em setembro de 2017, pela OnePoll para a Mars Petcare. Foram entrevistados 1.000 tutores de gatos e 1.000 tutores de cães nos Estados Unidos.
Por Tatiana Katibian - In Press Porter Novelli