Blindog: Inovação a serviço da segurança e autonomia canina

 

Doguinho com Blindog

O brasileiro é apaixonado por cachorro e isso ninguém pode negar: são 54,2 milhões de cães vivendo em lares, segundo censo do IPB (Instituto Pet Brasil). E com isso, os cuidados com a saúde e bem-estar deles têm um papel primordial para a qualidade de vida desses membros tão amados, e é aí que entra a Blindog, startup que desenvolveu um dispositivo inteligente para cães com deficiência visual. 


Criada em 2015, a empresa, que é a única do mundo a resolver o problema da cegueira canina através de tecnologia, nasceu de uma dor pessoal das sócias Luana Wandecy e Natália Dantas: as duas tinham cães cegos e não encontravam solução que devolvesse autonomia para seus pets, e foi aí que surgiu a ideia do produto. 

Luana Wandecy, CEO da Blindog, por PC Pereira



“À medida que minha cachorrinha, Princesa, envelhecia, ela estava perdendo sua visão e com isso, começou a se machucar frequentemente, colidindo com paredes e móveis. Eu e minha família procuramos e não encontramos nada que a permitisse andar sem se machucar. E foi durante o Startup Weekend Natal, ao compartilhar esse problema com  Natália, que também tinha um cãozinho poodle cego chamado Sherlock, que surgiu a ideia de criar uma solução para a cegueira canina, a Blindog. De lá para cá vendemos mais de 3000 dispositivos no Brasil, Portugal, Espanha, Estados Unidos, Canadá e Holanda”, conta Luana Wandecy, cofundadora. A jovem é uma das Innovators Under 35 da MIT Business Review, que elegeu as mentes mais inovadoras do país. Além disso, a pet tech ganhou o prêmio de startup revelação de 2023, no Case Startups, maior premiação do setor de inovação, realizada pela ABStartups.


Tecnologia a favor do bem-estar canino

O diferencial da Blindog está na tecnologia inovadora empregada em seus dispositivos, que é patenteada e conta com produção nacional. O dispositivo é leve, confortável e recarregável, proporcionando aos cães cegos uma forma eficaz de navegar pelo mundo. Através de estímulos vibratórios, os cães rapidamente aprendem a associar as vibrações a possíveis obstáculos, permitindo-lhes desviar com segurança. Com uma taxa de sucesso notável em apenas sete dias, o dispositivo proporciona uma nova rotina normal e independente aos pets, eliminando a necessidade de treinamento.


Sustentabilidade

Além de se preocupar com a saúde e bem-estar dos pets, a startup também está engajada no cuidado com o meio ambiente, e por isso, seus dispositivos são produzidos com materiais sustentáveis e recicláveis, reforçando seu compromisso com a natureza e o futuro.


Premiações

A Blindog impactou positivamente a vida de mais de 6000 animais no Brasil, Portugal, Espanha, Estados Unidos, Canadá, Peru, Alemanha, Inglaterra, Colômbia, Chile e Holanda, redefinindo sua independência e bem-estar. A startup foi honrada com prêmios e reconhecimentos, incluindo destaque no Programa de Aceleração Inovativa Brasil e vitórias no Sebrae Like a Boss, no StartupNE RN é startup revelação do ano em 2023 pelo Startup Awards, a maior premiação de startups do Brasil. Esses reconhecimentos destacam o comprometimento da Blindog em trazer mudanças tangíveis ao mundo dos pets.


Lançamentos

Olhando para o futuro, a Blindog está prestes a lançar dois novos produtos que atenderão cães e gatos de todas as necessidades, independentemente de deficiências. Essa expansão reflete a visão contínua da startup em oferecer soluções abrangentes e inovadoras para os animais de estimação.


Luana Wandecy, Blindog


A equipe da Blindog é composta por indivíduos apaixonados e altamente qualificados no campo. Liderando o time, Luana Wandecy, CEO e cofundadora, possui uma formação em engenharia de computação e mestrado em Inovação. Amanda Holanda, CMO, traz sua expertise em administração e publicidade. Enquanto Lindemberg Andrade, CTO, é um engenheiro de computação dedicado ao desenvolvimento dos softwares das soluções da startup.


Por Edson Junior - LaPresse Comunicação

5 Dicas de como agir em caso de ataque de animais

Imagem: Freepik
Especialista ensina como preservar vidas e garantir o bem-estar dos animais durante um incidente


Nos últimos anos, houve um aumento significativo no número de ataques de animais a humanos em áreas urbanas e rurais. Diante desse cenário, é crucial estar preparado para lidar com essas situações, de forma que proteja tanto os humanos quanto os animais envolvidos. A primeira reação de qualquer pessoa diante de um ataque de animal é de pânico, mas nesse momento, é fundamental manter a calma.


 

O instinto de autopreservação muitas vezes pode levar a ações que podem ferir gravemente o animal ou piorar a situação para o humano. Segundo a Dra. Stefanie Passos, professora de medicina veterinária do Centro Universitário Newton Paiva, "A abordagem correta pode salvar vidas e minimizar os danos para ambas as partes".


 

Pensando nisso, a profissional preparou uma série de dicas com técnicas de respostas imediatas em caso de ataques de animais:
 

• Avalie a situação calmamente: manter a calma é crucial para avaliar a situação corretamente. Tente identificar o tipo de animal e a gravidade do ataque. Se possível, observe os sinais de agressão do animal e tente entender o que pode ter desencadeado o comportamento agressivo. Muitas vezes, animais atacam por se sentirem ameaçados ou por estarem protegendo seu território ou filhotes.
 

• Use técnicas de defesa apropriadas: se a fuga não for uma opção, utilize técnicas de defesa que minimizem o dano ao animal. Por exemplo, usar objetos para criar uma barreira entre você e o animal pode ser eficaz. Evite fazer movimentos bruscos que possam assustar ainda mais o animal. A imobilização deve ser feita com cuidado para evitar ferir o animal ou provocar uma reação ainda mais agressiva.

 

• Chame ajuda imediatamente: acione os serviços de emergência o mais rápido possível. Informe claramente a situação, a localização e o tipo de animal envolvido. Serviços especializados em manejo de animais têm as ferramentas e o treinamento necessário para lidar com situações de ataque de maneira segura e eficaz, protegendo tanto o humano quanto o animal.
 

• Após o controle do animal, busque atendimento médico: mesmo que o ataque não pareça grave, é importante buscar atendimento médico imediatamente após o incidente. Animais podem transmitir doenças e infecções graves, e é crucial que qualquer ferimento seja tratado adequadamente. Além disso, relatórios médicos podem ser úteis para as autoridades de controle animal.
 

• Educação e prevenção são fundamentais: educar a comunidade sobre como interagir com animais de forma segura e respeitosa pode reduzir significativamente os incidentes. Programas de conscientização sobre a vida selvagem e a importância da coexistência pacífica entre humanos e animais são essenciais para criar um ambiente mais seguro para todos.


 

"A maneira como respondemos a um ataque de animal pode determinar o desfecho para ambos, humano e animal. Com conhecimento e calma, podemos preservar vidas e promover o bem-estar animal," conclui a especialista.

 


Centro Universitário Newton Paiva - Com uma tradição de ter sido criado há mais de 50 anos, o Centro Universitário Newton Paiva possui dois modernos complexos educacionais, com amplo nível tecnológico, em Belo Horizonte, MG. A instituição conta com corpo docente formado por mestres e doutores e está entre as principais instituições de ensino superior de Minas Gerais. São cerca de 50 cursos de graduação, e mais de 90 cursos de pós-graduação, divididos nas modalidades presencial e à distância. Consagrado pela alta qualidade acadêmica e excelente infraestrutura, com avançados laboratórios, núcleos de prática em diversas áreas do conhecimento e centros de inovação e, ainda, o primeiro campus inteligente do estado, o Smart Campus. E está alinhado com as questões ambientais, pois apoia e promove os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).



Por Lívia Campos - DezoitoCom PR

Cuidados com os cães e gatos no Outono: veja como protegê-los

 Especialista apresenta dicas que podem ajudar a preservar a saúde dos animais


Com a chegada das baixas temperaturas e tempo seco, não são apenas os humanos que sentem os impactos do frio. Os animais de estimação também podem sofrer com o clima e precisam de cuidados especiais nesta época do ano. Algumas medidas podem evitar problemas sérios na saúde dos pets.

 

Alguns cuidados são essenciais, como garantir que o ambiente onde os cães ou gatos dormem esteja aquecido e livre de umidade. É preciso estar atento aos animais que ficam na área externa de casa, o lugar da casinha precisa ter uma cobertura para ajudar a manter o interior seguro das chuvas e de geadas. “O ideal é colocá-la em um espaço estrategicamente longe do vento”, orienta o coordenador do curso de Medicina Veterinária da Faculdade Anhanguera, professor Tiago Ladeiro Almeida.





“Cobertores e mantas irão auxiliar no controle e isolamento da temperatura do local onde o pet descansa. Uma alternativa é utilizar papelão como forro entre o chão e a casinha, para gerar calor e aumentar o conforto do bichinho. Em condições intensas de ar gelado, é aconselhável agasalhar os pets”, completa.


O especialista indica outros cuidados com o tempo frio para preservar saúde dos animais. “Durante o outono e o inverno, algumas enfermidades são mais facilmente desenvolvidas, como a gripe, que atinge, principalmente, os cachorros”, alerta. “Os tutores devem checar a carteira de vacinação veterinária para garantir que os seus cães e gatos vão passar por esse período sem grandes complicações”, enfatiza.


Algumas doenças podem ser mais comuns neste período, segundo o coordenador. “Além de ser um ato de carinho, aquecer seus pets pode minimizar dores nas articulações, por exemplo. Essa atitude pode prevenir crises alérgicas, de asma, a rinotraqueíte, a cinomose e outros problemas”, afirma. “A melhor forma de prevenção é com visitas regulares com o médico veterinário para conhecer o status de saúde dos pets”, finaliza. 


Por Bianca Lodi Rieg - Cogna Educação