domingo, 3 de março de 2013

PEIXES ORNAMENTAIS

Identificando a reprodução dos Peixes Ornamentais

Um dos fatores que determinam a boa adaptação dos peixes ao cativeiro é a capacidade de reproduzir, pois com um habitat bem dimensionado, boa alimentação, vegetação adequada, ph e substrato próprio podemos multiplicar muitas espécies de peixes ornamentais.

Podemos dividir os peixes quanto à reprodução em vivíparos, ovovíparos e ovíparos, como exemplo de vivíparos temos algumas espécies de tubarões e arraias, os ovovíparos são peixes de fecundação interna que geram seus filhotes internamente e dão a luz a filhotes já formados e nadantes embora a fêmea não tenha ligação placentária com os mesmos, como exemplares de aquário temos - Os guppys, os espadas, as molinésias, platis e agulhinhas. Os ovíparos são a maioria dos peixes e tem a fecundação externa, ovos e espermas são lançados na água, e dentro de algum tempo eclodem. Na maioria dessas espécies os ovos são amplamente devorados pelos pais que também devoram os filhotes, mas existem peixes que protegem a prole como os ciclídeos (Acarás em geral) que desovam nas paredes do viveiro e protege a prole contra predadores, os acarás costuma comer a postura ou os filhotes se molestados no período de reprodução.


Quanto ao substrato para desova temos raízes de plantas aquáticas, pedras, paredes do viveiro e etc. Cada espécie tem suas particularidades na desova quanto ao cortejamento pelo macho, substrato, temperatura, estação do ano, incidência de luz, qualidade da água, entre outros fatores. Cabe a nós aquaristas descobri-las e adaptá-las aos viveiros, para assim podermos multiplicar cada vez mais os peixes ornamentais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário